doença periodontal

Vou perder meus dentes se tiver doença periodontal?

Difícil responder uma questão tão enfática, sem antes, abordar como se dá a doença periodontal. Mas, sim, existe essa possibilidade, sobretudo, em casos severos observa-se alta incidência de perda dentária, entre outros problemas graves.

Fora isso qualquer diagnóstico nesse âmbito requer uma análise mais aprofundada. Mesmo porque antes de mais nada é essencial controlar o quadro.

Diante disso, procure se concentrar nas informações deste artigo. Ou seja, mantenha-se confiante, em muitos casos, há chance de reverter a condição. Assim, entenda as causas como se desenvolve e alternativas em  tratamento da doença.

 O que é doença periodontal?

Trata-se da inflamação do periodonto, isto é, conjunto de tecidos que reveste a gengiva. Essa mucosa ainda é responsável pela sustentação da dentição. Por isso, naturalmente, em condições extremas, tende a levar a perda irreversível dos dentes.

Gengivite X doença periodontal

Na maioria das vezes essa condição se dá em decorrência da falta de tratamento adequada da gengivite. Tanto que especialistas da área até consideram que esse é o primeiro estágio da doença.

 Assim, antes de mais nada se notar qualquer evento anormal procure tratar a infecção local o quanto antes. 

Em outras palavras significa dizer: empregue todos recursos terapêuticos disponíveis e se preciso cirúrgicos para a reversão do quadro infeccioso. Mesmo porque agindo dessa forma ainda é possível evitar a progressão para a área adjacente.

Sintomas frequentes na doença periodontal

Além disso, é essencial reconhecer os sinais mais marcantes do quadro. Ainda mais porque a evolução de uma condição para outra ocorre de forma acelerada. Para evitar qualquer dúvida observe os sinais abaixo:

  • inchaço com bolsas gengivais;
  • alta sensibilidade na região;
  • odor desagradável na boca;
  • alteração perceptiva do paladar;
  • incômodo ao mastigar;
  • dor intermitente;
  • sangramento sem motivo;
  • amolecimento na dentição.

Risco elevado

Existem certos perfis mais suscetíveis à doença, que normalmente, incide mais sobre fumantes e ainda:

  • diabéticos com a glicose descontrolada;
  • pacientes com a imunidade baixa;
  • qualquer pessoa desleixada com a saúde bucal;
  • ou mesmo afetadas por crises intensas de stress;
  • etilícos.

A alimentação inadequada ou mesmo insuficiente também pode colaborar para o surgimento do quadro. Principalmente, se esses hábitos persistem por longo tempo.

Como evitar a perda dentária?

Assim, se você apresenta a maioria dos sintomas citados acima ou ainda faz parte de um desses grupos mais propensos ao quadro preste atenção. E,se possível procure o quanto antes consultar o especialista

Mesmo porque existem tratamentos efetivos para controlar o quadro. Claro que isso depende do estágio da doença. Ou seja, quanto antes se tratar maior a chance de êxito. Confira nos próximos tópicos as principais formas de evitar o problema. 

Limpeza reforçada

Sempre que a doença é confirmada por meio de exames específicos o dentista efetua a higiene da área. Isto é, com todo cuidado e especial atenção à desinfecção

Em alguns casos o profissional ainda pode prescrever certos antibióticos orais. Cabe ao paciente seguir todos os passos, inclusive, prazos de retorno ao consultório dentário. Nessas condições há grande possibilidade de regressão do quadro.

Enxerto ósseo

 Em outros casos, sobretudo, quando observa-se desgaste ósseo na região o especialista ainda pode se valer do enxerto. Na verdade, essa medida prioriza recomposição da região antes que isso resulte no comprometimento dentário.

Alinhamento ortodôntico

Por conta do amolecimento dentário e alta vulnerabilidade pode ocorrer uma espécie de deslocamento entre os dentes. Apesar disso ser um sinal evidente de evolução da doença periodontal o uso de aparelhos ortodônticos tende a suavizar esse aspecto. 

Porém essa iniciativa só é empregada após o sucesso nas fases anteriores. Portanto, observa-se que nem sempre a doença provoca, de fato, a perda dentária. 

Em última instância medidas profiláticas são  indispensáveis, assim como o tratamento precoce do quadro. O que reduz de forma considerável maiores danos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe