câncer oral

Sinais de alerta de câncer oral: sintomas e fatores de risco

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Brasil ocupa a terceira posição entre os países que mais casos de câncer oral. Por aqui, são cerca de 15 mil novos registros por ano. Uma das principais observações feitas pelo INCA, é que esse tipo de câncer tende a ser mais comum em homens com idade acima dos 60 anos.

Quer entender mais sobre essa doença? Então, continue a leitura e conheça seus principais sinais e fatores de risco. Acompanhe!

Sinais e sintomas de câncer oral

Os cânceres que acometem a cavidade oral (boca) apresentam alguns sinais bem característicos. No entanto, é importante observar que uma pessoa pode ter um ou mais sintomas. 

Além disso, há aqueles sinais que podem ter relação com outra condição, por isso, é essencial conversar com um especialista em saúde bucal para um diagnóstico mais detalhado.

Sendo assim, entre os sintomas e sinais que podem indicar câncer oral, temos:

  • feridas na boca ou nos lábios que não cicatrizam;
  • dor persistente na boca;
  • espessamento nos lábios, bochecha ou boca, assim como presença de um caroço;
  • mancha vermelha ou branca no revestimento da boca, amígdala, língua ou gengiva;
  • dificuldades para engolir normalmente;
  • mastigação com dificuldades;
  • problemas para movimentar normalmente a língua e a mandíbula;
  • dormência nos lábios, língua ou outras regiões da boca;
  • inchaços e dor recorrente na mandíbula;
  • mudanças na voz;
  • afrouxamento ou dor ao redor dos dentes.

Se você notar um ou mais desses sinais, ou qualquer outra coisa errada com sua boca, que dure mais de 2 semanas, é fundamental consultar o especialista em saúde bucal para que a causa seja encontrada e tratada, seja ela câncer ou qualquer outra condição.

Fatores de risco

Há várias características e comportamentos que são considerados fatores de risco para o câncer oral. Dessa forma, é preciso estar atento aos mais comuns, seja para prevenir ou para saber quando procurar ajuda. Veja:

Idade: embora possa atingir pessoas mais novas, a idade média do câncer bucal é de 62 anos, sendo que a partir dos 55 já é preciso ter cuidado;

Sexo: o câncer oral atinge duas vezes mais os homens do que as mulheres. Um dos motivos são os hábitos: homens tendem a consumir mais álcool e tabaco que as mulheres.

Nutrição: há estudos que sugerem haver uma ligação próxima entre dietas deficientes, pobres em vegetais e frutas, com o aumento do risco de desenvolvimento da condição;

Genética: determinadas mutações genéticas hereditárias, que causam problemas no corpo, como a anemia de Fanconi, podem contribuir para um maior risco de câncer oral;

Luz ultravioleta: os cânceres que acometem a região dos lábios são mais comuns em pessoas que usam câmaras de bronzeamento, trabalham ao ar livre ou ficam muito tempo com a região do rosto exposta ao sol.

Finalizando, se de um lado temos fatores que aumentam o risco de câncer oral, do outro temos algumas boas práticas que podem ajudar a preveni-lo. Por exemplo, evitar o cigarro, usar protetor labial, cuidar rapidamente de qualquer problema que surja na boca; consumir álcool com moderação e ter uma alimentação equilibrada são alguns comportamentos que valem a pena. No mais, lembre-se de manter sua rotina de visitas ao dentista em dia!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe