Saúde Bucal

Saúde Bucal: como ela afeta a função cerebral?

Quando falamos de má saúde bucal, é comum que haja a associação com cáries e gengivite. Contudo, os impactos deste comportamento não param por aí. Há uma forte relação entre problemas bucais e diversas outras condições graves, como AVC e até demência.

Você já havia ouvido falar nisso? Então, recomendamos a leitura deste post. Nele, explicaremos o porquê desta relação e a quais perigos você está exposto ao não higienizar corretamente os seus dentes.

Como a saúde bucal afeta a função cerebral?

Diferente do que muitas pessoas imaginam, a saúde bucal é essencial para o bom funcionamento de todo o corpo. Isso porque as doenças bucais podem contribuir para o desenvolvimento de doenças sistêmicas.

Ainda, acredita-se que cada pessoa tenha, em média, cerca de 100 milhões de bactérias por mililitro de saliva habitando a sua boca, alojadas entre os dentes, língua e gengivas. Com isso, formam comunidades estruturadas, como a placa dentária.

Porém, esses microrganismos só se tornam um perigo quando há um desequilíbrio. Em condições normais eles nos protegem contra outros microrganismos externos causadores de doenças.

Dessa forma, podemos afirmar que a relação entre saúde bucal e função cerebral existe a partir das doenças periodontais, capazes de inflamar os tecidos bucais, como no caso da gengiva e do cemento.

Nessas situações, a presença de bactérias nocivas faz com que a beta-amiloide, enzima tóxica, se acumule no cérebro. Portanto, essa enzima está diretamente relacionada à perda da capacidade cognitiva. 

Quando o excesso de beta-amiloide é mantido por mais de 6 meses, pode levar ao desenvolvimento ou agravamento de doenças degenerativas, principalmente entre os pacientes que já possuem o mal de Alzheimer.

Além disso, a má saúde bucal favorece a proliferação de bactérias oriundas de doenças periodontais que, por sua vez, podem causar complicações cardíacas, como a endocardite, entupimento das artérias e até Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Assim, a explicação está no fato de que as bactérias da cavidade oral acessam a corrente sanguínea e alcançam outros lugares do corpo, inclusive o cérebro e o coração, alojando-se e iniciando um processo inflamatório.

Como preservar a saúde bucal?

Em suma, para evitar o desenvolvimento dessas condições e preservar a sua saúde bucal, você precisa adotar hábitos que envolvam um maior cuidado com a higienização da cavidade oral. Por isso, a seguir, listamos algumas dicas para ajudá-lo nessa prevenção:

  • consulte um dentista regularmente. A ida ao consultório odontológico não deve ocorrer apenas quando há um problema. Você precisa ter uma atitude preventiva;
  • caso o dentista identifique algum problema e recomende a realização de exames, não hesite e faça quanto antes;
  • relate ao especialista se você possui algum diagnóstico relacionado à sua saúde, como uma doença autoimune ou degenerativa;
  • durante a consulta, tire todas as suas dúvidas sobre a higienização dos dentes. Não tenha vergonha de perguntar sobre a forma correta de escová-los ou de como usar o fio dental corretamente;
  • evite o consumo de água não filtrada ou sem o devido tratamento;
  • tenha uma rotina de escovação e limpeza dos dentes.

Enfim, cuidar da sua saúde bucal é fundamental para levar uma vida longeva e saudável. Se você persistir com a má higienização dos dentes é grande a chance de desenvolver doenças graves como as mencionadas no texto.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe