Reabilitação oral: o que é e como é feita

reabilitação oralAssim como outros órgãos e regiões do corpo, os dentes também estão passíveis de sofrer alterações em suas estruturas. Isto pode trazer inúmeros prejuízos as funções que eles desempenham. Além disso, há riscos, pois o surgimento de doenças bucais e sistêmicas advindas desta condição é plenamente possível. Em casos mais complexos, uma reabilitação oral completa pode ser sugerida. Não trata-se aqui de uma questão apenas de saúde, mas também de devolver ao indivíduo a auto-estima outrora perdida.

Seguir um planejamento criterioso é fundamental para o sucesso do caso. O tratamento, na maioria das vezes, é multidisciplinar, envolvendo uma ou mais especialidades odontológicas. Fato é que, quando bem conduzido, torna-se extremamente recompensador tanto para o profissional quanto para o paciente. A conclusão de uma reabilitação oral pode levar meses, mas, não raramente, transforma a vida de quem dela desfruta. 

O que é uma reabilitação oral?

A reabilitação oral é um processo que visa a restauração de toda a anatomia dental, de maneira que a mastigação, o sorriso e o desenho das arcadas dentárias estejam em plena harmonia com as demais estruturas faciais. Devolve-se assim cor, forma e função a dentes não hígidos ou repõem-se aqueles que porventura estejam ausentes. 

O processo geralmente envolve várias etapas que precisam ser conduzidas de maneira coordenada e sequencial. Radiografias, restaurações, tratamentos endodônticos ou ortodônticos, implantes e até mesmo cirurgias mais específicas poderão estar indicadas, objetivando-se não apenas estética, mas antes de tudo função. 

Embora a maioria das pessoas se preocupe apenas em obter um sorriso mais bonito, o foco da reabilitação é proporcionar bem-estar e saúde a boca. O público-alvo para reabilitação oral é aquele que apresente um ou mais dos seguintes problemas listados a seguir:

  • Dentes cariados, fraturados, abrasionados, inclusos ou com mobilidade;
  • Restos radiculares;
  • Ausência de dentes;
  • Restaurações inadequadas;
  • Gengiva inflamada ou com formato irregular;
  • Bruxismo ou apertamento;
  • Maloclusão;
  • Hipersensibilidade;
  • Lesões periapicais (junto ao ápice radicular).

Em resumo, o dentista fará uma análise precisa de como a reabilitação irá intervir diante desses problemas e realizar os procedimentos necessários.

Etapas da reabilitação 

Com o propósito de se obter um diagnóstico mais preciso da boca, o dentista poderá solicitar exames mais específicos relacionados ao problema em questão. A partir daí, iniciam-se as etapas. Conforme haja exigência, outros profissionais também participam.

Cada dente é avaliado e se determina quais precisam de uma maior atenção. Caso seja necessário, implantes ou próteses são colocados no lugar dos dentes perdidos. Restaurações, canais, extrações, aparelhos, placas, cirurgias corretivas, branqueamento dental, facetas e coroas estão, assim, entre as diversas possibilidades disponíveis. Aplicações de flúor e outras técnicas de limpeza também são utilizadas.

Para que o efeito da reabilitação oral perdure, a equipe também recomenda que o paciente mantenha uma higiene bucal apropriada e faça avaliações periódicas para evitar o surgimento de qualquer problema.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, de tal forma que ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

 

 

 

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe