Quais os principais cuidados com a saúde bucal em cada fase da vida?

Por muito tempo a saúde bucal esteve associada a um privilégio no Brasil. Para muitos, ainda é assim, se restringindo, apenas, à profilaxia, na infância. 

Quando não é assim, recorrem ao dentista somente em casos de emergências. Na maioria das vezes por ter uma visão equivocada de que os transtornos nessa área se limitam à cárie. 

Se você ainda pensa dessa forma, te convido a ler este artigo. Conheça as melhores iniciativas para manter a boca saudável em qualquer fase da vida!

Saúde bucal da criança

Sem dúvida, a cárie dentária, é um problema dramático para os brasileiros. Ainda mais se considerar o caráter acumulativo disso. Bem como têm efeito no que se refere à perda dentária no decorrer dos anos. 

Para se ter ideia dessa dimensão, segundo a pesquisa nacional de saúde bucal de 2010, principal referência, nesse assunto, indica que:

  • o primeiro indício de dente cariado ocorre ainda na primeira infância. Assim como, crianças de cinco anos, já apresentavam, em média, 2,43% da dentição nesse estado. Além disso, menos de 20% deles recebiam tratamento adequado na época do estudo.

Isso, é claro, chama atenção para a importância do reforço na limpeza. Mesmo nos dentes de leite. Pois, ao contrário do que se pensa , esses também podem ser comprometidos.

 Ademais, há outros eventos dentários com potencial para afetar, consideravelmente, a alimentação e interação social nessa fase. Conheça mais sobre eles nos tópicos seguintes.

Dentes desalinhados

É muito natural nessa idade já que os dentes estão em formação. Porém, com o tempo tende a trazer sérios problemas, principalmente, no que se refere à mastigação. Mesmo porque o encaixe disfuncional permanente prejudica a nutrição como um todo. 

Sem contar o quanto afeta a autoestima do indivíduo. Sendo assim, confira se há algum desnível nesse sentido. Em caso de dúvida, procure o dentista e, se preciso, invista no aparelho odontológico adiante.

Cuidados infantis

Além da escovação correta e frequente é indispensável o uso do fio dental. Assim como observar a quantidade de creme dental fluoretado. Evite exageros!

Nem precisa dizer que, em condições ideais, é melhor evitar dietas ricas em açúcares. Mesmo porque isso não faz bem a ninguém. Na pior das hipóteses, sempre que houver alto consumo de doces, incentive a higiene dental logo em seguida.

Vale lembrar que até os bebês sem dentição podem se beneficiar de bons hábitos. Para isso, basta que os pais limpem a gengiva deles com uma gaze embebida em água entre as mamadas. Só isso já previne bastante futuros transtornos. 

Por último, retorne ao dentista, pelo menos, duas vezes ao ano.

Aspectos consideráveis na adolescência

A adolescência, por sua vez, é mais um desafio nesse aspecto. Ainda mais porque, na maioria das vezes, muitos relaxam no asseio dental. Quando não abusam de bebidas alcoólicas ou do cigarro. Todos esses fatores contribuem para o aumento crescente de cárie nessa faixa etária. 

Talvez isso explique as queixas frequentes de dor nos dentes citadas neste grupo. Conforme o mesmo estudo esse índice, varia em 60,8%  a  65,1%, respectivamente até 12 anos e, entre 15 a 19 anos. Assim, além da prevenção citada acima é recomendável especial atenção:

  • à limpeza;
  • aos traumas acidentais se houver algo assim, procure, imediatamente, o dentista;
  • vez ou outra observe a sensibilidade na gengiva;
  • troque a escova pelo menos, trimestralmente;
  • controle os níveis de glicose;
  • consuma alimentos ricos em vitaminas variadas;
  • evite eventos estressantes;
  • mantenha o retorno ao médico e dentista em dia.

Prevenção entre adultos

Geralmente, é entre os 35 a 44 anos, que as pessoas procuram tratamentos dentários mais complexos. Como efeito de um estilo de vida desregrado ou desleixo total pela saúde. De fato esse histórico colabora para a perda de dentes, principalmente, pela falta de continuidade acerca da cárie.

Porém, esse não é o único agravante. Há ainda a doença periodontal, isto é, ao redor da gengiva sendo outro transtorno grave. Mesmo porque essa área é conhecida como assoalho dentário, ou seja, sustenta a arcada dentária.  

Some-se a isso o inchaço, sangramento e grande desconforto do paciente. Nesse caso há dores intensas sem contar o risco da perda de dentes. Se nada for feito, decerto, isso ocorre.

Profilaxia nessa faixa etária

O uso do fio dental é essencial para prevenir a doença periodontal e gengivite. Mas isso só acontece quando se usa esse acessório de forma correta. Evite, portanto, forçar a área. E, ainda, verifique os níveis de glicose e colesterol, pois o descontrole pode contribuir para esse quadro.

Se houver cárie procure seguir adiante com o tratamento. Caso seja prescrito pelo profissional, tome antibióticos, somente pelo tempo necessário, para curar as infecções na área. Cuide-se!

Saúde bucal na velhice

Por longas gerações a velhice esteve associada às próteses dentárias permanentes (dentaduras). Certamente, você conhece, pelo menos idoso nessa condição.

Isso ocorria devido às circunstâncias precárias de sobrevivência. Ainda mais porque não havia uma política de cobertura nacional bucal. Muito menos saneamento básico com água fluoretada.

Com isso, ainda na juventude muitos recorriam à extração de toda arcada dentária. Essa medida extrema foi,por muito tempo, a única alternativa de prevenção às doenças dentais entre os mais pobres.

Hoje, felizmente, essa situação mudou, ou seja, só se opta por esse recurso quando esgotadas todas outras iniciativas. 

Ainda assim, na maioria das vezes, preserva-se grande parte da dentição natural. Contudo, esses cuidados não devem se restringir aos dentes. Antes disso, há o câncer de boca, diabetes e aterosclerose (formação de placas duras devido ao colesterol alto).

Todas essas doenças são um risco a mais à saúde. Por isso, siga algumas dicas:

  • antes de mais nada mantenha o check-up em dia;
  • se possível, abandone o fumo de vez; 
  •  assim como adote uma dieta saudável e a higiene dental;
  •  não se esqueça do fio dental;
  • controle os níveis de estresse, glicose e colesterol;
  • redobre os cuidados no caso de uso de prótese dentárias fixas;
  • retorne ao dentista pelo menos duas vezes ao ano;
  • hidrate-se.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe