Pericoronarite

Pericoronarite: Causas, Sintomas e Tratamentos

Uma dor intensa e aguda. Esse é o relato de quem já sofreu com a pericoronarite, uma inflamação gengival que pode trazer grande prejuízo à saúde bucal. No entanto, é possível tratá-la de forma definitiva.

Quer conhecer mais sobre as causas, sintomas e tratamentos desta inflamação? Então, você não pode deixar de ler este post. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber a respeito do tema.

O que é pericoronarite?

Trata-se de um quadro inflamatório ou infeccioso que acomete pacientes que possuem dentes semi-inclusos, ou seja, dentes que estão parcialmente na boca. Por isso, é mais comum entre os terceiros molares, também chamados de sisos.

De modo geral, essa situação está frequentemente relacionada ao acúmulo de resto de alimentos na região. Por ser uma área de difícil acesso, a escovação não é suficiente para removê-los. Com isso, há a proliferação de bactérias, resultando em inflamação e infecção.

Ainda, a pericoronarite costuma ser aguda, isto é, de aparecimento súbito e de desenvolvimento rápido. Em situações menos comuns pode se apresentar de forma subaguda ou crônica.

Por fim, essa condição nem sempre representa um risco grave à saúde. Porém, se for negligenciada ou tardiamente diagnosticada, há a possibilidade de se disseminar para as estruturas adjacentes, ocasionando infecções severas e de difícil tratamento.

Como é causada?

A pericoronarite é principalmente causada pelo acúmulo de resíduos nos dentes, especialmente nos sisos. Porém, existem outras situações que podem desencadear o problema. São elas:

  • colonização de bactérias entre a coroa do dente e a gengiva que a recobre;
  • sulco profundo entre a coroa do dente e a gengiva;
  • presença de dente semi-incluso;
  • má higienização bucal ou dificuldade de limpar o local;
  • trauma dos tecidos moles que recobrem a coroa do dente.

Quais são os sintomas?

Os sintomas dessa condição estão comumente relacionados ao nascimento dos terceiros molares. Por isso, tendem a aparecer apenas a partir dos 20 anos. Os mais frequentemente relatados pelos pacientes são:

  • dor local que varia de moderada à forte;
  • halitose (mau-hálito);
  • dificuldade de deglutição;
  • dor durante a mastigação;
  • inflamação gengival ou inchaço causado por edema ou abscesso;
  • sangramento gengival nos tecidos moles;
  • dificuldade em abrir a boca, principalmente ao acordar;
  • difusão da dor para o ouvido e a cabeça;
  • aumento de volume dos gânglios do pescoço.
  • presença de pus na região afetada;
  • mal-estar e febre baixa.

Como é o tratamento?

O tratamento da pericoronarite varia de acordo com sua gravidade e causa. Em casos mais simples, o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios aliviam a dor enquanto a origem do problema é tratada.

Caso haja uma infecção nos tecidos moles, o dentista irá indicar o uso de antibióticos. Se o quadro for grave, o tratamento cirúrgico passa a ser a principal alternativa. As duas principais técnicas são a gengivectomia e a extração dentária.

Ainda, a gengivectomia consiste no corte e remoção do excesso de gengiva na zona da pericoronarite. O objetivo é expor a coroa do dente, facilitando sua erupção. Já a extração dentária é indicada quando não há o espaço necessário para a erupção completa do dente ou quando o nascimento do siso é a origem da dor.

Então, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre a pericoronarite, seus sintomas, causas e possíveis tratamentos. Portanto, caso perceba algum sinal semelhante, converse com seu dentista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe