Mau Hálito

Mau Hálito: O Que Pode Ser, Como Tratar E Se Prevenir

O mau hálito é um problema mais comum do que você imagina, acometendo cerca de 1 em cada 4 adultos e sendo definido como uma alteração do hálito que não é facilmente resolvida. No entanto, não é considerada uma doença, mas sim um sintoma.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber a respeito do assunto.

O que é o mau hálito?

O mau hálito, ou halitose, é uma condição que tem origem na própria língua, órgão revestido por papilas que transmitem informações ao cérebro com o intuito de reconhecer o sabor dos alimentos.

Ainda, entre as papilas gustativas existem pequenas aberturas onde se acumulam restos de alimentos e células que descamam do epitélio lingual. Esse depósito torna-se um ambiente favorável à proliferação de bactérias, que liberam substâncias ricas em enxofres, causando o mau hálito.

Durante a noite, nosso organismo produz uma menor quantidade de saliva, o que acentua a fermentação e a liberação de enxofre. Por isso, é normal que haja um odor forte de manhã, após acordarmos.

O mesmo ocorre quando passamos muito tempo sem comer, pois, quando nos alimentamos, há um atrito da língua com o palato e um aumento da salivação, ajudando a eliminar resíduos  responsáveis por essa fermentação.

Outras causas da halitose

A origem do mau hálito pode ser bucal, responsável por 90% dos casos, ou extra bucal. No primeiro caso, podemos citar: saburra, cárie, periodontite, gengivite, xerostomia ou cáseos, que são placas bacterianas depositadas nas amígdalas.

Por outro lado, as causas extrabucais mais comuns são: insuficiência renal e hepática, diabetes descontrolado, infecção dos brônquios e pulmões, estresse e refluxo gastroesofágico. Além disso, os seguintes fatores também contribuem para o surgimento da halitose:

  • baixo consumo de água;
  • ronco;
  • infecções na garganta ou no nariz;
  • uso de tabaco;
  • consumo excessivo de álcool.

Como tratar?

Geralmente, o mau hálito é uma condição passível de tratamento. O primeiro passo é identificar a doença que está causando este sintoma e, posteriormente, tratá-la. Quando a causa é a falta de saliva, pode-se fazer uso de saliva artificial ou de medicamentos que estimulam a glândula salivar.

Quando o problema de origem é uma inflamação na cavidade oral, o tratamento consiste em orientar o paciente a melhorar sua higiene bucal e na higienização para a retirada da placa bacteriana e do tártaro.

Em alguns casos, pode ser necessário promover algumas alterações na dieta. Se o quadro for grave, o dentista pode considerar a intervenção cirúrgica.

Como prevenir?

O mau hálito pode ser facilmente prevenido. A principal medida é fazer a higiene bucal corretamente e manter uma rotina de visitas aos dentistas. Outras medidas importantes são:

  • usar o fio dental corretamente;
  • escovar os dentes com creme dental com flúor, especialmente antes de dormir;
  • faça uso do limpador lingual ou de uma escova com cerdas mais duras;
  • mantenha-se hidratado para garantir o maior fluxo de saliva;
  • pare ou diminua o consumo de tabaco e de álcool;
  • evite ficar mais de 3 ou 4 horas sem se alimentar.

Então, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre o mau hálito, suas possíveis causas e as principais alternativas de tratamento. Portanto, faça sua parte e cuide da sua saúde bucal para prevenir a halitose.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe