implante dentário

Implantes dentários: 5 fatores para se prestar atenção

implantesAs pessoas que perderam um ou mais dentes, por qualquer motivo que seja, precisam de uma solução adequada para  repô-los. Além do comprometimento na mastigação, a ausência de dente(s) pode desencadear impacto estético significativo. Tal condição, não raramente, afeta a autoestima das pessoas, criando dificuldades de relacionamento e convívio social. Os implantes dentários são uma das alternativas mais interessantes para se contornar o problema.

Trata-se de um procedimento na maioria das vezes muito simples. Consiste na colocação cirúrgica de um suporte de metal, confeccionado em titânio, sobre o osso do maxilar. Irá funcionar como uma espécie de raiz para que um novo dente possa ser moldado e afixado sobre esta estrutura.

No entanto, infelizmente, os implantes dentários não devem ser indicados aleatoriamente para todas as pessoas. Devido a uma série de  questões, algumas contra-indicações podem adiar ou até mesmo inviabilizar o tratamento. Conheceremos agora 5 fatores que podem  impedir a sua instalação temporária ou definitivamente.

1- Implantes em adolescentes não plenamente desenvolvidos

Esse é um ponto extremamente importante, pois pessoas com menos de 18 anos geralmente ainda não se desenvolveram completamente.  Desta forma, não encontram-se aptas para a realização da técnica. Isso ocorre porque os ossos maxilares não estão completamente formados durante essa fase da vida. Submeter-se a uma cirurgia como essa nesse período pode acarretar transtornos funcionais e estéticos  posteriormente.

2- Diabéticos não tratados

Os cuidados com pacientes diabéticos devem ser redobrados. Aqueles que não realizam controle rigoroso da doença devem ser orientados  com relação aos riscos de perda dos implantes dentários. Dessa forma, é importante destacar que o diabetes não só dificulta a fixação dos mesmos ao osso, como também torna o paciente muito mais propenso a infecções no período pós-operatório.

3- Fumantes

O cigarro prejudica os implantes dentários de duas formas: em um primeiro momento, piorando as estatísticas de osseointegração  (mecanismo que permite a fixação dos mesmos aos ossos maxilares) e, em um segundo plano, aumentando a perda óssea ao redor daqueles  que se osseointegram. Em resumo, um maior número de implantes se torna incapaz de aderir ao osso e, aqueles que conseguem se “colar” a  ele, apresentam sobrevida reduzida.

O tabagismo, por si só, geralmente não impede a instalação dos mesmos. Entretanto, estudos apontam que uma redução significativa do  vício, que tenha início cerca de 1 mês antes da instalação até a conclusão do processo de osseointegração, melhora muito as chances de  sucesso previamente a fase protética.

4- Pessoas que usam medicamentos que afetam a cicatrização óssea

É importante lembrar que, como os implantes dentários são colocados sobre o osso, é necessário que este cicatrize para garantir sua  completa fixação. Assim, pessoas que façam uso de medicamentos que afetem diretamente a cicatrização óssea não são candidatas ao  procedimento. Os bifosfonatos, utilizados no tratamento da osteoporose e mesmo em pacientes com histórico de câncer nos ossos, pode  levar a necrose óssea naqueles que se submetem a cirurgias orais.

5- Implantes x radioterapia

Durante o tratamento do câncer é natural que a imunidade do paciente caia. Significa dizer, aliás, que qualquer procedimento cirúrgico  oferece mais riscos de infecção. Assim, o ideal é esperar a radioterapia ser concluída e fazer uma avaliação com um oncologista. Este  profissional irá determinar o tempo necessário até que os implantes dentários possam ser realizados.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, de tal forma que ficarei muito feliz em responder  aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em  Barbacena!

 

 

 

 

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe