Halitose

Halitose: Sintomas, Causas e Tratamentos

O termo halitose refere-se à liberação de odores desagradáveis pela boca ou por outras cavidades aéreas, sendo esse um problema muito comum entre a população. Esse problema pode ter relação com questões fisiológicas ou patológicas.

Você já conhece as causas dessa condição? Quer saber mais sobre seus sintomas e tratamentos? Então, continue a leitura deste texto. A seguir, explicaremos tudo sobre o tema.

O que é a halitose?

Halitose, ou o famoso mau hálito, é um problema que traz grande impacto na qualidade de vida das pessoas, pois afeta a autoestima. No entanto, estima-se que até 25% das pessoas que procuram atendimento médico com esta queixa, na verdade não sofrem com o problema.

Por isso, buscar o diagnóstico médico é fundamental. Por outro lado, existe um grande número de pessoas que não percebe o mau odor, o que pode afastar as pessoas ao seu redor e dificultar o relacionamento com terceiros.

No que se refere às causas, apesar da halitose estar normalmente relacionada à limpeza ineficiente dos dentes e da boca, pode ter relação com alguma doença pré-existente. O profissional irá identificar a origem desse sintoma.

Quais são as causas?

A halitose pode ser uma consequência de diferentes situações do dia-a-dia ou em função de doenças crônicas. A seguir, listamos aquelas que são comumente diagnosticadas:

  • redução da produção de saliva: é mais comum durante a noite, ocasionando a maior fermentação das bactérias que habitam a boca, levando a liberação de enxofre e resultando na halitose;
  • higienização inadequada da boca: quando o indivíduo não mantém uma rotina ideal de higienização da boca, facilitando a formação de tártaros e cáries, favorecendo a saburra lingual e causando a halitose;
  • permanecer longos períodos sem comer: o jejum prolongado promove um estado de cetose, causando maior degradação de corpos cetônicos  e fermentando as bactérias que habitam na boca;
  • alterações estomacais: muito comum quando o indivíduo possui refluxo ou eructação;
  • infecções: a presença de infecções na boca ou na garganta podem levar ao mau hálito, pois também há fermentação dos microrganismos;
  • diabetes: quando o diabetes está descontrolado, há um quadro de cetoacidose, em que são produzidos muitos corpos cetônicos, sendo uma das consequências da halitose.

Como é o tratamento?

Na maioria dos casos, a halitose tem origem na boca e é diagnosticada pelo dentista. Quando há uma causa patológica externa, o otorrinolaringologista tende a ser o profissional mais indicado para o diagnóstico. 

Quando o problema é má higiene bucal, o tratamento consiste na orientação da pessoa sobre a adoção de novos hábitos, melhorando a escovação dos dentes e da língua sempre após as refeições e uso do fio dental. Em alguns casos, recomenda-se o uso de um limpador de língua.

Além disso, a pessoa precisa desenvolver bons hábitos alimentares, priorizando a ingestão de fibras, mantendo uma boa mastigação e a hidratação, consumindo, no mínimo, 2 litros de água por dia.

Por outro lado, quando o problema está relacionado a uma doença crônica, o objetivo do tratamento passa a ser identificar essa doença e aplicar medidas terapêuticas para seu controle, eliminando os sintomas.

Enfim, se você sofre com halitose, o primeiro passo é buscar a avaliação de um dentista a fim de  identificar a origem do problema. Com isso, será possível adotar o melhor tratamento e evitar a manutenção do mau hálito.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe