Quer saber mais sobre mais esse tema? Confira este artigo e ainda como funciona cada caso.

Gengivoplastia e gengivectomia: quais são as diferenças entre elas?

A gengivoplastia e gengivectomia são cirurgias bem comuns na área. Como o nome indica se restringem a tratar problemas da gengiva.

O maior interesse nesses casos é reduzir a sensação de “sorriso gengival“. Ou mesmo obter um visual mais harmônico. No entanto, há diferenças notáveis nesse contexto, sobretudo, no que se refere à indicação.

Quer saber mais sobre mais esse tema? Confira este artigo e ainda como funciona cada caso.

Gengivoplastia e gengivectomia: indicações

Recomenda-se a gengivoplastia para o “redesenho do contorno gengival“. Não por acaso, já que o que mais se destaca nessas pessoas é a região gengival invés da dentição.

Por essa razão tem uma concepção mais estética. Mesmo porque afeta mais a autoestima. Assim como pode prejudicar a disposição dental e ainda:

  • lábios;
  • e até dar impressão de projeção exagerada.

Diagnóstico

Antes de mais nada, o paciente submete-se ao exame periodontal completo. Isto é, especifico para os tecidos em torno da dentição. Se ainda restar dúvida indica-se tomografia.

Somente após esse protocolo se comprova essa condição. E, assim se for o caso segue-se adiante com o tratamento mais adequado.

Prevalência genética

Além disso, na maioria das vezes, observa-se predominância genética como causa determinante do quadro. O que só demonstra a importância da cirurgia nesse sentido. Ainda mais porque a eficácia desse recurso é satisfatória.

Gengivectomia: efeito restaurador

Na gengivectomia prevalece-se a mesma lógica só com um fim ainda mais direcionado. Isso porque busca eliminar o excesso de bolsa periodontal resultado de uma infecção anterior nessa área.

Ademais, costuma aliviar o inchaço e desconforto nessa região. Sem contar o quanto previne a formação de placa bacteriana responsável pela periodontite( origem do transtorno).

Gengivoplastia e gengivectomia: contraindicações

Antes, desse recurso, porém faz-se necessária a avaliação completa do cirurgião-dentista. Mas, para adiantar, em regra as intervenções não são recomendáveis no caso de:

  • diabetes descontrolada;
  • fumantes;
  • hipertensão não tratada;
  • HIV com carga viral acima do tolerável;
  • gravidez;
  • na adolescência ( a não ser que o responsável legal autorize).

Importância do pós-operatório

Em ambos casos tanto a operação como a recuperação são rápidas. Além disso, em condições normais, não geram incômodo para o paciente.

Porém, isso só se comprova, de fato, por meio do check-up, após 14 dias, da cirurgia. Dessa forma o profissional pode saturar os pontos. Bem como seguir com assepsia entre outros cuidados locais.

Gengivoplastia e gengivectomia X satisfação

Em geral o índice de satisfação nesses casos é alto. Mesmo porque faz toda a diferença na vida da pessoa.

Porém, isso se verifica quando o paciente colabora. Mais ainda quanto aos cuidados no pós-cirúrgico tais como:

  • deve evitar falar nas 48 horas seguintes;
  • não se indica o consumo de álcool nem fumo, até 7 dias, logo após a cirurgia;
  • bem como deve evitar exposição solar nesse período;
  • higienizar a área somente com os produtos prescritos;
  • restrição de dieta pastosa livre de fibras e sal. De preferência em temperatura morna.

Decerto, se tudo for feito conforme orientações profissionais em ambos casos há grandes chances de ter êxito.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe