7 fatores de risco para o surgimento da doença periodontal

A doença periodontal é caracterizada por uma infecção por bactérias, que afeta a estrutura e o suporte dos dentes. Trata-se de uma das principais causas de perda dentária – atinge cerca de 90% da população mundial, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). É possível prevenir o problema, por isso, é importante saber os fatores de risco relacionados a essa alteração.

Fatores de risco da doença periodontal

Nível de higiene ruim

A limpeza correta dos dentes faz toda a diferença. O ideal é escovar os dentes três vezes ao dia, com escova macia, sempre após o café da manhã, o almoço e antes de dormir. Quem possui próteses deve higienizar a boca também. Usar fio dental e realizar bochechos com água também contribuem para o combate a esse problema tão sério.

Visitas irregulares ao dentista

Por mais que se realize a limpeza diária seguindo todas as recomendações, somente a profilaxia consegue remover as impurezas que a escova e o fio dental não alcançam. Portanto, aquelas pessoas que não visitam o dentista regularmente estão mais propensas a desenvolver processos infecciosos bucais.

Diabetes

Indivíduos com diabetes têm um risco 2,5 vezes maior do que pacientes não diabéticos de apresentar doença periodontal. O desajuste metabólico crônico atinge todo o organismo,  mas, quem sofre mais são os rins, os olhos e a boca. Essa vulnerabilidade acontece devido à dificuldade do diabético em reagir a processos inflamatórios e infecciosos.

Fumo

A saúde gengival e dos tecidos periodontais fica seriamente comprometida em indivíduos que fazem uso regular de cigarro. O ideal é que a pessoa abandone o fumo, mas, por se tratar de um vício, requer um enfrentamento diferenciado que, muitas vezes, demora anos. Então, a recomendação é que o fumante tenha cuidados redobrados com sua higiene bucal.

Genética

O fator genético também integra a lista de fatores de risco. Ele não causa a doença, mas pode amplificar a resposta do hospedeiro frente às bactérias, tornando a condição mais severa. Importante explicar: não se trata de um fator hereditário, isto é, passado de mãe/pai para filho.

Hormônios

O sobe-desce hormonal a que as mulheres estão sujeitas ao longo da vida influencia no aparecimento da doença periodontal. É por isso, por exemplo, que as recomendações de pré-natal inclui acompanhamento odontológico. Em casos extremos, a gestante pode ter parto prematuro e o bebê nascer com deformações.

Condições imunológicas

Quanto mais deficitária a resposta imune do organismo, mais complicado fica lutar contra os microorganismos patogênicos que estão desencadeando o processo inflamatório. Essa é uma questão que passa pelo uso de medicamentos, má alimentação, etc.

Como se vê, a doença periodontal têm vários “gatilhos” que favorecem sua instalação e permanência. Por ora, ela ainda continua sendo um problema de saúde pública, inclusive no Brasil, que requer esforços constantes e assertivos de órgãos governamentais e sociedades médicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe