cirurgia regenerativa

Cirurgia regenerativa: quando é indicada?

Com a evolução da medicina odontológica, diversas alternativas de tratamentos foram desenvolvidos e promovem benefícios estéticos e funcionais aos pacientes. A cirurgia regenerativa é um exemplo desses procedimentos que, comprovadamente, oferecem resultados satisfatórios. Já ouviu falar nesse tipo de cirurgia? Nesse texto, vou apresentar esse método e os casos em que é indicado.

O que é a cirurgia regenerativa?

É uma intervenção cirúrgica que tem por objetivo a restauração dos tecidos e da fixação perdida pelos dentes na cavidade oral. Esse procedimento regenerativo tem melhor resultado quando o avanço da doença é interrompido. Dessa forma, as estruturas que foram restauradas podem ser permanentes. Esse tipo de cirurgia pode se utilizar de diversas técnicas para promover a reconstrução do defeito ósseo. Dentre elas, podemos citar, por exemplo:
  • uso de diferentes materiais de enxertia;
  • regeneração guiada do tecido e;
  • a matriz derivada do esmalte.

Como é realizada?

A realização do procedimento pode incluir, como já vimos, diversas técnicas. Dentre elas, a colocação de barreiras a fim de evitar o crescimento do epitélio no local do defeito ósseo. Proporcionando, desse modo, melhores condições para a regeneração dos ossos. Além disso, as barreiras são usadas para orientar as células do ligamento periodontal a crescerem pela superfície da raiz. Promovendo, assim, a regeneração do suporte do dente perdido e bloqueando a entrada das células do tecido conjuntivo epitelial e gengival no local. As barreiras podem ser, ou não, reabsorvíveis. As barreiras não reabsorvíveis têm um tempo maior de duração, mas depois será preciso realizar uma cirurgia para a sua retirada. Geralmente, as barreiras reabsorvíveis são mais utilizadas. Porém, podem ser reabsorvidas pelo organismo antes do tempo programado para que o preenchimento ósseo ocorra como esperado. A utilização de enxerto ósseo é mais recomendada para casos em que o defeito ósseo é mais estreito e tem maior profundidade. As barreiras também podem ser aplicadas para conter os enxertos. Os melhores materiais para enxerto são aqueles oriundos dos ossos do paciente, obtidos a partir de locais intraorais ou extraorais. Esse autoenxerto é melhor aceito pelo organismo e podem acelerar o crescimento ósseo.

Quando essa cirurgia é indicada?

O procedimento regenerativo é recomendado para casos em que ocorre a perda óssea em função de alguma doença na boca do paciente. A periodontite é uma dessas condições que, quando não tratada, acarreta na perda dos tecidos de suporte dos dentes. A perda óssea afeta a gengiva, os ligamentos e o osso, sendo causada pela má higiene bucal. Essa condição também pode acometer aos diabéticos, pois são mais suscetíveis ao problema A regeneração óssea busca restaurar a arquitetura e a funcionalidade dos tecidos que foram lesados. Existe um consenso no meio científico de que a cirurgia regenerativa é um procedimento previsível e eficaz para tratar os defeitos ósseos. Porém, existem casos raros em que a cirurgia regenerativa não apresentou os resultados esperados. Isso ocorreu em função de fatores inerentes ao paciente, aos defeito periodontais ou aos materiais utilizados. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!
Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe