Câncer Oral

Câncer Oral: sintomas e fatores de risco

O câncer oral, ou câncer de boca, se caracteriza pela formação de um tumor maligno em qualquer estrutura dessa cavidade, como os lábios, gengivas, bochechas, céu da boca, língua e região embaixo da língua.

Você sabe identificar os primeiros sinais desta condição? Então, recomendamos que leia este artigo até o final. A seguir, explicaremos tudo sobre os sintomas e fatores de risco para esta neoplasia maligna.

O que é o câncer oral?

Trata-se do câncer que se caracteriza pela presença de um tumor maligno na cavidade oral, principalmente nos lábios e na língua. Embora seja muito comum entre homens acima dos 40 anos com histórico de tabagismo e alcoolismo, também pode acometer jovens que não fumam e nem consomem bebidas alcoólicas.

Ainda, o câncer de boca costuma se manifestar através de uma pequena ferida na boca, esbranquiçada ou avermelhada. Dessa forma, tende a ser confundido com uma afta, dificultando o diagnóstico precoce.

Quais os fatores de risco associados?

Como ocorre com diversos cânceres, o oral não tem suas causas totalmente esclarecidas. Porém, existem fatores de risco que tornam uma pessoa mais propensa a desenvolver esta doença. Esses fatores são:

  • tabagismo: quem fuma está mais suscetível que não fumantes, pois a fumaça do tabaco tem um alto teor de toxinas. As chances são ainda maiores para quem utiliza cachimbos;
  • consumo abusivo de álcool: a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas torna uma pessoa mais suscetível à doença. Quando o paciente bebe e fuma o risco é 30 vezes maior do que em pessoas que não fumam ou bebem;
  • infecção pelo Papilomavírus humano (HPV): essa infecção é um importante fator de risco para o câncer de boca, principalmente em pessoas mais jovens com histórico de múltiplos parceiros;
  • obesidade: estar acima do peso aumenta o risco para essa doença;
  • idade e gênero: homens com mais de 40 anos têm um risco aumentado de desenvolver esta neoplasia;
  • síndromes genéticas: ter o diagnóstico de síndrome de Fanconi e disceratose congênita torna uma pessoa mais suscetível ao câncer de cavidade oral;
  • alimentação: uma dieta pobre em frutas e vegetais está associada ao maior risco para o câncer.

Quais os sintomas mais comuns?

Como o câncer oral pode acometer diferentes estruturas, a sua sintomatologia é bem variada. Por isso, o diagnóstico precoce é um desafio. Dessa forma, recomenda-se que ao primeiro sinal de algo anormal na região, procure um especialista. A seguir, conheça os sintomas mais relatados por pacientes diagnosticados com essa neoplasia:

  • presença de feridas, nódulos ou manchas espessas em torno da boca, ou da garganta que não cicatrizam;
  • dor ou sensibilidade na boca, no ouvido ou em torno dos dentes;
  • dificuldade para mastigar, engolir, falar ou para mover a mandíbula ou a língua;
  • dentes amolecidos sem causa aparente;
  • lesões vermelhas ou brancas nos lábios, ou na boca;
  • sensação de que há algo prendido na garganta;
  • inchaços na gengiva que impedem a colocação de próteses dentárias;
  • dormência;
  • rouquidão prolongada;
  • caroço na bochecha;
  • alterações na voz;
  • nódulo ou massa no pescoço;
  • perda súbita de peso;
  • mau hálito constante;
  • tosse constante;
  • sangramento na boca;

Enfim, esses são os sintomas que estão comumente relacionados ao câncer oral. Nesse sentido, caso perceba a presença de algum deles, procure o seu dentista imediatamente. Dessa forma, você contribui para o diagnóstico e tratamento precoce da doença.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe