Canal radicular

Canal Radicular: Tudo Que Você Precisa Saber Sobre O Tratamento

Também chamado de polpa dentária, o canal radicular é o tecido pelo qual os vasos sanguíneos, fibras e nervos do dente passam dentro da boca, sendo o responsável pela funcionalidade do dente.

Você já realizou o tão famoso e temido tratamento de canal? Ainda não, mas precisará fazer? Então, você precisa ler este artigo. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

O que é o canal radicular?

O canal radicular é essencial para a vivacidade dos dentes. Por isso, quando há algum problema na região, é fundamental buscar um endodontista para iniciar o tratamento o quanto antes e evitar prejuízos mais graves.

Ainda, enquanto alguns dentes são unirradiculares, ou seja, têm apenas uma raiz, outros apresentam duas (birradiculares) ou mais raízes (dentes multirradiculares). A quantidade varia de acordo com o tipo de dente.

Enquanto os dentes frontais superiores e inferiores (incisivos) contam com uma raiz dentária e um ou dois canais, os oito pré-molares, que estão localizados na parte posterior da mandíbula, têm duas raízes e dois canais.

O que é o tratamento de canal?

Trata-se de um procedimento em que há a retirada da polpa do dente, ou seja, o tecido que é encontrado na parte interna das peças de nossa arcada dentária. O tratamento consiste na limpeza, preparação e preenchimento da região a fim de vedar o canal e evitar danos mais sérios.

Quando o paciente chega no consultório odontológico com o canal radicular em crise, o tratamento busca abrir o dente, aliviar a dor, remover as bactérias invasoras e remendar sua área interna.

Geralmente, esse tratamento é motivado por uma dor no canal dentário que não cessa e traz grande incômodo. Os principais motivos para tal são:

  • pancada no dente;
  • morte pulpar;
  • trauma visível;
  • dor nos dentes ou no maxilar;
  • dano ou exposição do nervo;
  • inchaço, bolhas e pus;
  • dificuldade para mastigar.

Como o procedimento é feito?

O tratamento do canal radicular é feito em três etapas que podem ser feitas ou não em uma única sessão. A primeira é o acesso, onde há a abertura do canal com a caneta de alta rotação. 

Em seguida, inicia-se a etapa de remoção da polpa infeccionada, procedimento que é feito com o uso de limas especiais e outros recursos para limpeza da região. Por último, ocorre a obturação dos canais.

Nessa fase, o cirurgião-dentista preenche os canais radiculares com materiais odontológicos especiais. Caso seja necessário, poderá ser aplicada uma prótese de face dentária, visando melhorar a estética e aumentar a proteção.

Como é o pós-operatório?

Após o tratamento, o paciente precisa adotar alguns cuidados, como, por exemplo, optar por alimentos moles e menos rígidos, evitar mastigar com o dente em que o canal está sendo tratado e, caso haja dor ou sensibilidade, utilizar medicamentos prescritos pelo médico.

O tratamento dói?

Essa é uma questão relativa, tendo em vista que depende da gravidade da situação. Pode ocorrer um incômodo maior na aplicação da anestesia, principalmente se o canal já estiver bem infeccionado.

No entanto, o procedimento em si é indolor, pois a boca estará anestesiada. Quando o efeito passa, o uso de analgésicos e cremes anestésicos é suficiente para aliviar o desconforto do paciente.

Enfim, o tratamento do canal radicular é um procedimento simples e não deve ser temido. Obviamente, o melhor é cuidar da saúde bucal e manter uma rotina de visitas ao seu dentista para não necessitar dessa medida terapêutica.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe