Autoexame bucal

Autoexame bucal: o que é e como fazer?

O acompanhamento odontológico é parte fundamental da saúde. O autoexame bucal pode ser importante para descobrir e impedir o desenvolvimento de diversas doenças. Além disso, pode indicar a necessidade de alguns procedimentos cirúrgicos, como a extração do siso.

O autoexame deve ser feito por qualquer pessoa, principalmente homens e mulheres acima dos 40 anos de idade, fumantes e etilistas.

A técnica é realizada por inspeção visual e palpação da bochecha, lábios, língua, assoalho bucal e palato. Deve ser feita em frente a um espelho com iluminação adequada.

Que sinais procurar no autoexame bucal?

Qualquer anormalidade deve ser investigada. Irritações e feridas na gengiva que demoram a cicatrizar, por exemplo, precisam de atenção e uma consulta ao dentista.

Além disso, caroços, manchas na língua e dor sem motivo aparente são sinais que devem ser analisados.

Da mesma forma, o autoexame deve observar:

  • alterações na coloração;
  • regiões irritadas abaixo de dentaduras ou pontes móveis;
  • feridas que não cicatrizam;
  • dentes fraturados ou moles;
  • caroços;
  • sangramentos;
  • inchaço e áreas dormentes;
  • pericoronarite – inflamações que sugerem a extração do siso.

Como fazer a autoavaliação bucal em casa?

O autoexame deve ser realizado em frente a um espelho, primeiramente avaliando-se a assimetria dos lados do rosto. Após isso, vire o lábio inferior para baixo e, então, examine se existe alguma alteração no lábio e na gengiva, como lesões, caroços ou alteração de cor.

Faça esse mesmo procedimento na língua, colocando-a para fora. Ao verificar o palato, conhecido como céu da boca, coloque a cabeça para trás e observe a parte de cima da boca, assim como o interior das bochechas. Procure sinais ou feridas e apalpe-os para sentir se há algum sintoma.

Verifique também os dentes e veja se existem sinais de quebras ou inflamações junto a gengiva.

Que relação há entre o autoexame bucal e a extração do siso?

A pericoronarite é um processo inflamatório que ocorre em tecidos moles, que rodeiam a coroa do dente. Em geral, essa inflamação afeta os terceiros molares, isto é, os dentes do siso, quando eles estão nascendo.

A inflamação ocorre porque o espaço que se cria entre a gengiva e a coroa desses dentes favorece o acúmulo de alimento. Assim, há proliferação de bactérias. A inflamação pode acontecer pela dificuldade de o siso crescer normalmente, devido à falta de espaço ou ao posicionamento dentário.

Inflamações no siso podem causar diversos problemas como, por exemplo, forte dor, gengiva inflamada, edemas ou abcessos, limitação ao abrir a boca e mau hálito. Além de outros problemas como dor de cabeça, de ouvido e nos maxilares.

Dessa forma, o autoexame bucal é fundamental para descobrir essas inflamações na fase inicial e permitir que se faça a extração do siso no momento adequado. Apesar de ser bem eficaz, o autoexame não substitui o exame clínico regular feito pelo dentista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe