coroa

Aumento de coroa: finalidade restauradora

aumento de coroaA cirurgia de aumento de coroa clínica representa a única opção terapêutica quando se almeja crescer a porção visível do dente. Como resultado, tal procedimento pode envolver apenas a remoção de gengiva e/ou gengiva e osso ao redor da cintura do elemento dental.

Alguns conceitos básicos

Para que um tratamento restaurador não cause danos aos tecidos periodontais, uma correta localização do término do preparo dentário  torna-se fundamental. Deve situar-se a no mínimo 3 mm do ápice do osso subjacente que circunda o dente (denominada crista óssea  alveolar). Isso mesmo, essa distância é pequena porque o osso nessa região é muito superficial. Em situações esporádicas, de grande  exigência estética, este valor pode ser ligeiramente diminuído. Nestes casos, em especial, tolera-se estender a margem da restauração 0,5  mm para dentro da gengiva (área conhecida como sulco gengival ). Objetiva-se, desta forma, ocultá-la, deixando transparecer o máximo de  naturalidade possível ao trabalho protético.

Sem dúvida, isso é bem exemplificado quando da execução de coroas de porcelana na região ântero-superior da arcada dentária. Quando a linha de  contato da restauração com o dente fica aparente, significa dizer que o sulco gengival não foi alcançado. Excelente do ponto de vista fisiológico, pois evíta-se inflamação gengival nesta região decorrente da interface dente-restauração. Vale lembrar que interfaces sempre têm uma maior capacidade de acúmulo de bactérias. Entretanto, esteticamente falando, isso pode vir a ser um desastre. A invasão de até 0,5 mm  para dentro do sulco gengival da margem da restauração, permite, dessa forma, esconder o término da mesma, sem romper os ligamentos. Além disso, a  higienização não fica tão prejudicada.

Respeitando-se a condição anteriormente citada, preserva-se a integridade da estrutura mole interna circunjacente a porção cervical do  elemento dental. Estrutura esta cuja função é proteger os componentes de sustentação do dente contra a agressão bacteriana e suas toxinas.  Na maioria das vezes, será a invasão desta região que irá determinar a indicação para a cirurgia.

Indicações do aumento de coroa

As principais indicações seriam:

  • Invasão superior a 0,5 mm do espaço subgengival (também denominado espaço biológico) por cárie ou fratura. Isso leva a inflamação  crônica que conduz a periodontite, podendo culminar com a perda do dente;
  • Impossibilidade de isolamento absoluto para realização de tratamento endodôntico (tratamento de canal);
  • Ajustar as margens gengivais ao redor dos dentes em casos de necessidade de melhoria estética;
  • Hiperplasia gengival (gengiva crescida e volumosa). Comum em pacientes com higienização precária ou que façam uso de  determinadas medicações;
  • Falta de espaço protético suficiente que promova adequada retenção das peças.

Contra-indicações do aumento de coroa

Algumas contra-indicações:

  • Proporção coroa raiz desfavorável (raízes muito curtas);
  • Risco de exposição da região de furca (zona situada entre as raízes de um mesmo dente, mais comuns nos elementos posteriores e  primeiro pré-molar superior);
  • Acesso que, eventualmente, coloque em risco dentes vizinhos.

Considerações finais

A sutura deve ser realizada a fim de promover uma adequada coaptação dos bordos. Quando alcançado este objetivo, dispensa-se o uso de  cimento cirúrgico. Sua remoção se dá com aproximadamente 15 dias. Cuidados pós-operatórios são necessários, sobretudo com relação à  higiene oral. Uma restauração provisória é ideal e tem, enfim, o propósito de estabelecer um correto contorno da coroa dental. Isso ajudará no  condicionamento gengival prévio à restauração definitiva, realizada após transcorrido período igual ou superior a 60 dias.

Resumidamente, ao final do processo cicatricial, objetiva-se como resultado uma gengiva totalmente sadia e bem delineada ao redor do  dente em questão. Quando houver necessidade de moldagem, é imprescindível que o contorno do preparo dentário esteja bem nítido e sem sangramentos.  Essa condição permite ao laboratório trabalhar sobre um modelo de gesso muito mais fiel e, obviamente, de melhor qualidade.

Embora a princípio não pareça, a cirurgia de aumento de coroa clínica é, geralmente, um procedimento de difícil execução. Exige grande  destreza e experiência do operador. Pequenos deslizes durante o ato operatório podem resultar em defeitos ósseos capazes de perpetuar o  processo inflamatório, conferir uma estética totalmente inadequada ou ainda criar severas áreas de impacção alimentar.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, de tal forma que ficarei muito feliz em responder  aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em  Barbacena!

 

 

 

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe