saúde bucal

A má saúde bucal afeta a função cerebral?

Muitas pessoas não sabem, mas a saúde bucal tem um peso muito grande para o nosso organismo. Sendo assim, pode-se até dizer que ela  é um indicador de como anda o bem-estar geral de uma pessoa.

Nos últimos anos, muitas pesquisas têm sido feitas com a finalidade de analisar a relação entre problemas bucais e outras condições que aumentam as chances de uma pessoa desenvolver alguma doença grave, como AVC ou demência.

A seguir, vamos explicar melhor alguns pontos importantes sobre como a saúde bucal pode impactar o cérebro humano. Continue a leitura e saiba mais sobre esse tema muito importante!

A ligação entre a saúde bucal e a saúde cerebral

Há várias doenças bucais que, quando não tratadas de forma adequada e no tempo ideal, podem causar impactos negativos no seu cérebro. 

Infecção de dente e perda de memória

Quando um especialista em saúde bucal diz que os dentes estão diretamente conectados ao seu cérebro não é algo em sentido figurado. Diversos nervos em nossa cavidade oral fazem essa conexão.

Por exemplo, temos o nervo trigêmeo, um nervo craniano que está ligado à mandíbula, gengivas, aos dentes e muitas outras partes.

Por isso, uma pessoa com infecção dentária pode sofrer com a perda de memória, caso a infecção não tratada se espalhe e chegue ao seu cérebro. Vamos tomar o exemplo das cáries, um dos problemas de saúde bucal mais comuns. Quando uma cárie atinge a raiz de um dente, a infecção pode prejudicar os nervos e os vasos sanguíneos que, por sua vez, estão conectados diretamente ao cérebro.

Por isso, impedir que a infecção se propague, manter uma higiene oral cuidadosa é fundamental para evitar problemas.

Doenças da gengiva e demência

estudos que sugerem que uma pessoa que sofre com doença gengival tem uma probabilidade maior de desenvolver demência. As pesquisas encontraram uma forte relação entre essa condição e o declínio cognitivo. 

Aliás, algumas pesquisas vão além, sugerindo que doenças da gengiva podem ser  catalisadoras para  o Alzheimer.

Então, fica aqui o alerta: se você tiver gengivite, ou seja, quando a doença gengival ainda está no começo, faça uma visita ao seu dentista para encontrar o melhor tratamento e mantenha o problema sob controle.

O que fazer para manter a saúde bucal

Como vimos, muitos dos problemas bucais que podem afetar o cérebro tem relação com infecções e inflamações. Sendo assim, o primeiro passo é avaliar seus próprios métodos para os cuidados orais.

Na dúvida, fale com seu dentista para que ele te oriente sobre  as melhores práticas de higiene. Afinal, muitas vezes a pessoa pode acreditar que está fazendo certo, sendo que precisa melhorar. Fique atento as boas práticas de saúde bucal como, por exemplo, escovar os dentes após cada refeição, usar o fio dental diariamente e não compartilhar escovas (bactérias podem passar de uma pessoa para outra).

Por fim, lembre-se de manter sua rotina de visitas ao especialista. Dessa forma, independentemente do problema, ele poderá ser identificado no início sendo possível tratá-lo com mais eficiência.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe