sisos

6 mitos e verdades sobre a extração dos sisos

Sisos são os últimos dentes molares de cada um dos lados dos maxilares. Eles são, também, os últimos a nascer na arcada dentaria. Esse nascimento geralmente ocorre entre os 16 e 20 anos de idade, podendo variar de pessoa para pessoa. Em alguns indivíduos, os sisos nunca chegam a nascer.

Justamente por serem os últimos a aparecer, nem sempre há espaço suficiente na boca para que eles se desenvolvam e se acomodem adequadamente. Esse inconveniente pode fazer com que os sisos fiquem inclusos, isto é, presos debaixo do tecido gengival, sendo obstruídos por dentes ou ossos. Essa condição favorece a ocorrência de dor, inchaço e, até mesmo, acúmulo de resíduos alimentares, o que aumenta a propensão às infecções bacterianas.

Se um ou mais sisos erupcionam parcialmente ou crescem mal posicionados, isso pode gerar problemas odontológicos cuja melhor solução é a cirurgia de extração do siso. Esse procedimento gera temor em muitos pacientes, especialmente pela falta de informação e mitos sem fundamento que têm sido propagados ao longo do tempo.

Mitos e verdades sobre a extração dos sisos

Para esclarecer dúvidas e desmitificar as principais questões, preparei um conteúdo exclusivo com os maiores mitos e verdades sobre a extração do dente siso. Vem comigo conferir!

1 – Todas as pessoas devem extrair os sisos

Mito. Muitos acreditam que, mais cedo ou mais tarde, o siso terá que ser extraído. Isso é um mito dos grandes. Só há indicação cirúrgica se os sisos forem problemáticos e causarem inconvenientes, como dor de dente, desconforto, desalinhamento dos dentes, dificuldade na mordida, etc. Cada caso deve ser analisado individualmente pelo dentista de confiança.

2 – A extração do siso é muito dolorosa

Mito. Pode haver certo desconforto, mas a extração do siso não é insuportável como muitas pessoas temem. Por ser um procedimento dentário invasivo, a cirurgia é feita sob anestesia local. O processo não é demorado e, se ao longo dele o paciente relatar ao cirurgião que está sentindo dor, uma nova dose de anestesia pode ser aplicada.

Como a sensibilidade à dor é algo que varia de paciente para paciente, na maioria dos casos a extração é muito tranquila nesse sentido. O que há é a pressão exercida durante a operação. Ela muitas vezes é confundida com dor.

3 – O repouso é importante depois da retirada do siso

Verdade. A extração do siso é um procedimento cirúrgico e, portanto, demanda cuidados pós-operatórios como qualquer outro tipo de cirurgia. O repouso é um desses cuidados, juntamente com a higienização local e alimentação adequada!

O repouso consiste não só na abstenção da prática de exercícios físicos e esforços, como moderação da mastigação e manutenção da posição adequada ao se deitar. O tempo varia conforme a complexidade da cirurgia. Quanto menor for o trauma e ferimento cirúrgico, mais rápida será a recuperação e mais curto será o repouso.

4 – Sisos só podem ser extraídos depois de nascerem completamente

Mito. Os sisos podem ser extraídos quando nem romperam a gengiva. Por meio de radiografias é possível verificar se o posicionamento do siso é problemático, o que permite definir se o melhor caminho é a extração precoce.

A depender da situação, há indicação para remover dentes inclusos ou retidos. Inclusive, um bom momento para retirar os sisos é quando as raízes não estão completamente formadas. Além de facilitar o procedimento, minimiza risco.

5 – A cirurgia de retirada do siso é mais complexa depois dos 30 anos

Verdade. Recomenda-se que os dentes sisos sejam extraídos entre os 15 e 30 anos de idade. Depois disso, a tendência é que a calcificação dos ossos aumente, tornando-os mais duros.

Além disso, com as raízes totalmente formadas, a retirada é mais demorada, complexa e arriscada. Mesmo assim, é um procedimento que dentistas experientes dominam bem e estão aptos a fazer com a devida precisão e cautela.

6 – Se retirar um siso, os outros também precisam ser extraídos

Mito. Se você retirar um siso, isso não significa que há obrigatoriedade de retirar os outros. O ideal é que ao retirar o siso superior de um lado, o inferior também seja removido, por uma questão funcional.

Remover os quatro de uma vez só é uma possibilidade a ser avaliada junto com o odontólogo, sendo a principal vantagem ter um único pós-operatório. No entanto, não é uma regra.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como periodontista e implantodontista em Barbacena!

Dr. Sérgio Caetano

Dr. Sérgio Caetano

O que deseja encontrar?

Compartilhe